NOSSOS SERVIÇOS

Consulte disponibilidade de horário
(53) 3232-6557 / (53) 3231-3557

O alinhamento é especificado pelo fabricante dos veículos a fim de oferecer uma maior eficiência de rolamento, melhor dirigibilidade e otimização do grau de esterção. Qualquer alteração que ocorra nas especificações de alinhamento, ocasionada por impactotrepidaçãocompressão lateral e desgaste dos componentes da suspensão, poderá comprometer o bom comportamento do veículo. Ou, ainda, provocar um desgaste irregular e prematuro da banda de rodagem dos pneus.

O alinhamento serve para:

  • Conservar a estabilidade direcional;
  • Facilitar a condução;
  • Evitar a fadiga mecânica;
  • Conservar a vida do pneu;
  • Economizar combustível.

Para que as rodas dianteiras de um veículo se mantenham paralelas em movimento retilínio e os pneus perfetamente apoiados no solo é necessário que os parâmetros de alinhamento estejam com seus valores dentro das especificações do fabricante do veículo. Desta forma se obterá uma melhor estabilidade do veículo e uma maior vida útil dos pneus.

Os valores especificados para tais parâmetros geralmente são reduzidos e seu controle deve ser realizado com aparelhagens especiais. O controle e as eventuais correções somente deverão ser efetuadas desde que não hajam folgas excessivas nos terminais de direção, nos rolamentos, nos embuchamentos e pinos de suspensão, ou aros defeituosos.

Quando deve ser efetuado:

  • Em todas as revisões estipuladas pelo fabricante do veículo, ou pelo menos, a cada 10.000 km;
  • Sempre após um impacto forte contra buracos, pedras, guias ou outros objetos;
  • Sempre que houver a substituição de algum elemento da suspensão ou da direção;
  • O veículo tende a ir mais para um lado ou tem dificuldade de se manter na trajetória;
  • Quando forem verificados desgastes irregulares nos pneus;
  • Na colocação de pneus novos.

É a regulagem dos ângulos da direção do veículo conforme as especificações do fabricante. Basicamente são 4 ângulos a serem verificados: convergência/divergência, caster e cambagem (camber).

Convergência

Convergência é o ajuste das rodas direcionadas, de modo que fiquem mais fechadas na extremidade dianteira do que na traseira.

Divergência

Divergência é a condição oposta à convergência. Neste caso, as rodas estão mais abertas na extremidade dianteira do que na traseira. Se os valores especificados para a convergência das rodas estiverem alterados, a banda de rodagem dos pneus apresenta um desgaste irregular em forma de “serra”, que provocará um alisamento acelerado da mesma.

Caster

É o ângulo de inclinação para frente (negativo) ou para trás (positivo) do pino mestre ou braço de suporte do eixo na parte superior, com relação a um plano vertical. O caster é responsável pela estabilidade direcional do veículo. Pouco ou nenhum caster ocasionará um bamboleio na roda, resultando em desgaste acentuado em pontos localizados da banda de rodagem de um pneu.
O caster desigual faz com que a roda puxe para um lado, provocando um desgaste irregular da banda de rodagem do pneu. O caster excessivo originará um desgaste total e prematuro da banda de rodagem do pneu.

Positivo: quando a inclinação do eixo de giro é para a frente
Negativo: quando a inclinação do eixo de giro é para traz
Zero: quando o eixo de giro esta na vertical

Função
Proporcionar estabilidade direcional. O caster quando positivo, projetando para a frente o eixo de giro, estabelece o ponto de carga para frente do ponto de contato da roda com o solo. Com isso, as rodas tendem a manter-se alinhadas para frente impondo ao veículo uma trajetória em linha reta. O caster apesar de ser um ângulo crítico para o controle do veículo, não influência no desgaste dos pneus.

Os efeitos de um Caster fora das especificações são os seguintes:

Quando insuficiente:
Reduz a estabilidade direcional em alta velocidade
Reduz o esforço direcional requerido em baixa velocidade

Quando excessivo:
Aumenta a estabilidade direcional em alta velocidade
Aumenta o esforço direcional requerido em baixa velocidade
Pode causar vibrações laterais em alta velocidade

Diferente lado a lado:
Pode causar tendências no veículo de “puxar” para um dos lados e pode causar problemas em freagens violentas.
A máxima diferença permissível lado a lado é de ½ grau.

Cambagem (Camber)

O camber é determinado pela inclinação da parte superior da roda, para dentro ou para fora do veículo, em relação a um plano vertical. A cambagem pode ser positiva ou negativa. A cambagem excessiva provoca um desgaste mais acentuado no ombro do pneu. Se o camber for positivo, o desgaste será no ombro externo; se for negativo, o desgaste será no ombro interno do pneu.

Função:
A função do Camber é distribuir o peso do veículo sobre a banda de rodagem dos pneus de maneira uniforme, evitando desgaste irregular dos mesmos. Desgaste excessivo nos “ombros” dos pneus são geralmente atribuídos a regulagens incorretas de Camber.

Camber Negativo:
Ocasiona desgaste prematuro no ombro interno do pneu. Projeta o ponto de aplicação do peso do veículo para a extremidade do eixo da roda gerando um efeito de alavanca que causa instabilidade vertical e fadiga, tanto no eixo quanto nos demais componentes da suspensão.

Camber Positivo:
Ocasiona desgaste prematuro no ombro externo do pneus. Projeta o ponto de aplicação do peso do veículo para a parte interna do eixo da roda, diminuindo o efeito de alavanca conseqüentemente aumentando a estabilidade vertical do veículo.

Camber Desigual:
Quando não houver especificações do fabricante, deve-se tolerar uma diferença máxima de ½ graus de Camber lado a lado. O veículo tende a “puxar para o lado da roda que estiver com o ajuste de Camber mais positivo.

Balanceamento

É o processo de equilibragem estática e dinâmica do conjunto pneu/roda.

Um bom balanceamento:

  • Assegura um maior conforto
  • Aumenta o rendimento do pneu
  • Evita fadiga dos elementos mecânicos

Uma roda completa num veículo está sujeita a desequilíbrios que se traduzem em vibrações, afetando o desgaste do pneu e o conforto, além de reduzir a vida útil dos rolamentos, dos amortecedores e elementos da suspensão e direção do veículo.

Os inconvenientes dos desequilíbrios são corrigidos através da operação de balanceamento das rodas, executada normalmente com máquinas balanceadoras.
A compensação dos pesos é feita através da operação de balanceamento das rodas, executada normalmente com máquinas balanceadoras.

A) CAMBER (Cambagem) – é o ângulo formado pela inclinação da roda em relação a um plano vertical.
Um ângulo “camber” incorreto causa desgaste irregular na banda de rodagem do pneu e também anomalias na direção do veículo.

B) PARALELISMO – Convergência (Toe-in) ou Divergência (Toe-out): Durante a marcha em retilíneo do veículo é indispensável que haja um perfeito paralelismo tanto entre as rodas dianteiras como traseiras, para que os pneus não sofram arrastamentos. Para compensar a tendência de abertura das rodas, devido à resistência ao rolamento dos pneus e às folgas do sistema de direção, ou fechamento devido à força motriz, é recomendado para cada modelo de veículo, um determidado valor de convergência ou divergência que deve ser mantido para se obter dos pneus o máximo de aproveitamento.

Caso o veículo trabalhe com convergência (ou divergência) fora das especificações, os pneus sofrerão um desgaste prematuro e irregular, devido ao contínuo arrastamento das rodas.


Deve ser efetuado:

  • Sempre que houver substituição de pneus;
  • Sempre que for efetuado conserto em pneus ou câmaras;
  • Por ocasião de vibrações ou ressonâncias;
  • Sempre que houver substituição de elementos do conjunto rodante. Por exemplo: pastilhas de freios, rolamento da roda, peças da suspensão, etc.

Desempenador Hidráulico de Rodas

  • Desempena e desamassa rodas de aço ou liga-leve desde aro 13 até aro 18.
  • Sistema de bucha de acoplamento em aço SAE 1045 temperado. Estrutura super reforçada com tubos quadrados de 3 polegadas.
  • Gabarito para perfeito alinhamento de rodas.
  • Sistema que permite desempeno da borda dianteira da roda.
  • Ajuste para alinhamento, volante para fixação e centralização do aro.
  • Macaco hidráulico de 4 toneladas.

Montagens de pneus

Devem ser efetuadas preferencialmente por profissionais capacitados, usando ferramentas e processos adequados, além de máquinas adaptadas.

  • As rodas devem ser adequadas à dimensão do pneu e estar em perfeitas condições;
  • Pneus novos “TT”(com câmara) deverão ser montados com câmaras novas;
  • Pneus novos “TL” (sem câmara) deverão ser montados com válvulas novas;
  • Em um mesmo eixo, empregar pneus com a mesma dimensão, modelo, índice de carga e velocidade;
  • Alguns pneus apresentam sentido de rodagem, conforme indicado na lateral do pneu. Não observar este aspecto comprometerá o desempenho do produto.